Memória
            Pelo Brasil             Memória             Catequese - uma breve introdução
21/06/2017 Ir. Israel José Nery Memória Catequese - uma breve introdução 1. A RENOVAÇÃO DA CATEQUESE -Breve História
A+ a-
Ir. Israel José Nery
Ir. Israel José Nery

O Concílio e a Catequese. O grande Pentecostes da Igreja no século XX foi o Concílio Vaticano II (1962-1965). Aquela assembléia de bispos, com o Papa, na Basílica de São Pelo, no Vaticano, fez uma avaliação da Igreja e traçou metas e passos para o seu futuro no mundo em mudança. A catequese recebeu grande impulso com os documentos conciliares, ainda hoje fundamentais: “A Igreja” (Lumen Gentium) “A Igreja no mundo” (Gaudium et Spes), “A Palavra de Deus” (Dei Verbum) e “A Renovação da Liturgia” (Sacrossactum Concilium). 

Mais impulso. E enquanto assimilávamos e colocávamos em prática o Concílio, chegava mais incentivo para o nosso entusiasmo. Em destaque a Segunda Conferência Episcopal Latino-americana, em Medellín, Colômbia, (1968), a Terceira, em Puebla, México (1979) e a Semana Internacional de Catequese (Medellín, 1968). De Roma nos chegavam: o Diretório Catequético Geral (1971), “A evangelização no mundo contemporâneo” (Evangelii Nuntiandi, de Paulo VI, 1975), e A Catequese Hoje (Catechesi Tradendae, de João Paulo II, 1979). E, ainda tivemos a Primeira Semana Latino-americana de Catequese, em Quito, Equador, em 1982 sobre “A comunidade catequizadora”. 

E a catequese no Brasil? Com tudo isso, ficamos motivadosa ter um documento nosso para a renovação da catequese. A idéia surgiu no Encontro Nacional de Catequese (11 a 17/11/1979), em São Paulo, SP. Um primeiro texto “Orientações pastorais sobre a Catequese” foi estudado na Assembléia da CNBB, em 1980, já motivada pela conferência de Dom Aloísio Lorscheider sobre o Sínodo de 1977 e sobre o documento Catechesi Tradendae. Reformulado e enviado a todas as Dioceses, o Instrumento de Trabalho “Orientações em torno do conteúdo da Catequese”, recebeu milhares de contribuições. A nova versão foi enriquecida na Assembléia dos Bispos de 1981, com o nome de Orientações para uma Catequese Renovada” Um grupo de bispos que, em 1980, havia insistido na importância de um Roteiro básico de conteúdos voltou a insistir nos conteúdos. A Equipe de Redação, porém, priorizava a mudança de mentalidade em relação à evangelização e à catequese. Em 1982, os Bispos mostraram satisfação com o texto, mas queriam saber do Roteiro. Para isso, eles sugeriram tomar como referência o Documento de Puebla: a Verdade sobre Cristo, a Verdade sobre a Igreja, a Verdade sobre o Homem. E novo texto teve três partes: a) visão histórica da catequese; b) a catequese renovada e suas exigências; c) orientações para a prática de uma catequese renovada. E ao longo de 1982 foi preparado o Roteiro, que recebeu o título de ‘Temas fundamentais para uma catequese renovada”. 

Enfim, o Documento Catequese Renovada. A Assembléia da CNBB (abril de 1983), aprovou, no dia 15, por unanimidade, o Documento “Catequese Renovada, orientações e conteúdo”, com quatro partes: a) A Catequese e a Comunidade na História da Igreja; b) Princípios para uma Catequese Renovada; c) Temas Fundamentais para uma Catequese Renovada; d) A Comunidade Catequizadora. A Sé Apostólica aprovou com elogios este Documento, em 25/5/1983, e estimulou para que fosse divulgado e estudado em todo o País. Iniciava-se uma nova fase: assimilar e colocar em prática este dom do Espírito à Igreja no Brasil. E desta missão tive a graça de participar com Frei Bernardo Cansi, OFMcap, sob a liderança de Dom Albano Cavallin, a partir da CNBB, de 1983 a 1986, e com milhares de catequistas de todos os recantos do Brasil. (Continua...).

Ir. Israel José Nery

Foi assessor nacional de catequese.

É especialista em catequese e autor de vários livros.

Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
Leia os artigos...
                  
Receba as novidades da Catequese do Brasil. Cadastre seu e-mail...